Browsing Posts tagged Viagens pela Europa

    É muito pouco provável que alguém saiba assim, de bate pronto, que cidade é a pequena Savoca. E porque motivo ela deveria ser visitada, lá no alto de uma montanha siciliana. Pois aí está a primeira pista. Sicília! A Primeira palavra que vem a mente quando se fala em Sicília? Máfia! E a primeira coisa que vem a mente quando se fala em máfia? O Poderoso Chefão!

    Aí está! Savoca é uma das cidades que serviu de cenário para a célebre triologia. Provavelmente, e eternamente entre as maores obras do cinema. E quem não gostaria de tomar um expresso no iconico Bar Vitelli?

    A relação com o filme está por toda cidade. O que não chega a ser surpresa, afinal de contas, o Bar Vitelli foi o cenário onde Michael Corleone pediu a mão de Apollonia Vitelli para seu pai. A igreja do casamento, enfim. A cidade toda, na verdade, lembra o filme!

    Se você foi a Savoca, é porque provavelmente está baseado em Taormina, que pela lógica é um dos grandes motivos de ter ido até a Sicília. Não, nem pense que Palermo é o motivo de ir a Sicília. Vamos falar das principais cidades sicilianas que vale a pena visitar, e Taormina sem dúvida está entre as obrigatórias. É de lá que você vai viver a aventura de chegar até Savoca.

    Sem GPS é melhor pensar duas vezes, caso vá de carro. Porque o trecho inicial, é quase inacreditável. É quase necessário recolher os retrovisores pra passar em uma meia pista, que serve aos dois sentidos, e pode ser confundida com um final de estrada. Não se assuste, é isso mesmo. Depois de achar que o caminho está errado e quase voltar várias vezes, começa a aventura, de curvas impressionantes, mas com um visual lindíssimo!

    A cidade tem menos de 2 mil habitantes, provavelmente a maioria deles (que não está aposentada) viva em função do turismo desencadeado pelo filme. Praticamente só se vê turistas pelas ruelas, super estreitas, curvadas se adaptando a montanha.

    Eu indico pegar esse moto taxi abaixo, acredito ser o único da cidade, para circular pelas igrejas e bater as fotos dos cenários do filme. A motinho fica em frente a praça, que é em frente ao Bar Vitelli, que é a primeira coisa que você vê quando chega na entrada da cidade. Nós fomos caminhando, e no calor que estava, foi sofridinho. Na volta achamos o taxi dando sopa e arrecadamos ele.

    Como o bar é a principal atração, e as fotos mais clássicas, assim que chegar, já tente fazer as fotos e tomar aquele expresso ou outras especialidades italianas. Porque ele é bem concorrido, e você não vai querer alguém de camisera amarela no meio da sua foto!

    O Bar é praticamente um museu do filme. Eles tentam deixar o mais original possível, então a cara dele é bem de época mesmo. A ideia é sentar lá com calma, e curtir aquilo tudo. Bem em frente tem um mirante absurdamente lindo da montanha (terceira foto), e a lojinha de lembranças também fica ali, na pracinha.

    Dentro do bar ficam fotos, peças, tudo relacionado ao filme. É uma viagem no tempo, sem dúvida. Pra quem gosta do filme, é bem obrigatório. Pra quem não gosta, é uma visita super legal do mesmo jeito, e certamente vai dar vontade de rever o filme com outros olhos. Pra quem não tem ideia do que seja o Poderoso Chefão, bem… Vou te apresentar, este é o Planeta Terra. Aqui foi filmado uma triologia…

    Imagens: Arquivo Pessoal

    #nofilter

    Bem pertinho da Costa Esmeralda, que explico em outro artigo como foi formada e do que se trata, fica a Baja Sardinia. Igualmente maravilhosa, igualmente nobre, e uma excelente pedida pra buscar resorts potentes a um custo bem melhor que o coração da Costa Esmeralda, que é Porto Cervo.

    Toda essa região é formada de pequenas cidades, praias intermináveis e uma mais perfeita que a outra, e pequenas distâncias. A beleza natural é o que há, além da tranquilidade e velocidade mais que perfeita de tudo por lá. Nosso foco nessa região era se hospedar em uma base já quase dentro da praia, numa casa completa.

    E não tenho dúvida que foi a melhor escolha. Desde a primeira hora da manhã, até o início da noite, todos os momentos são praticamente perfeitos. E a melhor maneira de aproveitar isso, é num resort, de preferência com praia logo ali. O Grand Smeraldo caiu como uma luva. Depois de muita pesquisa, foi o escolhido em função da absurda praia privativa, a estrutura enorme, e pra completar, a localização ao lado de uma estrutura de restaurantes, bares, lojas etc.

    Os preços não foram altos, considerando onde se está, claro. Mas se pagou muito, pelo aproveitamento total do tempo. Sim, se passava a maior parte do dia perambulando pelas praias esmeraldinas e cidadelas vizinhas, mas mesmo assim, várias eram as horas no retorno, que se aproveitava aquela estrutura toda.

    A praia privada era toda rochosa, lindíssima e ideal também pra fazer snorkel. Tem momentos que, se você estiver usando uma máscara de vidro, e tiver medo de altura, vai ter a sensação de estar caindo de um penhasco. Porque tem lugares super profundos com rocha lá embaixo e a água é tão transparente que nem é percebida. Impressionante.

    O público, claro, seguindo quase toda a tendência da Sardenha, é mais velho, e praticamente só europeu. Ali havia muito alemão. Mas a regra geral é muito, muito italiano e ingleses. Sim, jovens brasileiros por lá chamam a atenção. Espere por essa curiosidade. Encontramos 2 casais brasileiros na Sardenha. Ambos na praia mais badalada, que falaremos em artigo específico. E só.

    Provavelmente a visita na Sardenha será nos meses em que o sol vai até tarde, então a hora de sair da água já chegou, mas o dia continua forte, teimando em mostrar com todas as suas forças, a beleza inigualável e particular sarda. A hora do expresso italiano será sagrada ao entardecer na sacada com vista de parar o mundo.

    Acredito que mesmo quando lotados, esses resorts tenham um clima super tranquilo, testamos sem querer isso em Alghero (etapa de rally internacional encheu o hotel que estávamos), e foi assim mesmo. Porque muitos tem horários diversos de sair pras praias externas, de jantar no centrinho, de se recolher… Então é bem possível experimentar a sensação de curtir isso tudo quase com exclusividade. Demais, mesmo.

    O centrinho da Baja Sardinia é bem na medida. Calmo, charmoso, bem relax, e servido de alguns lugares sensacionais. O Skipper abaixo, indico pelo estilo. Nossos pratos vieram bem apimentados. Bem mesmo, mas tiando esse detalhe, foi uma experiência jantar nesse estiloso lugar, com o mar a frente e um atendimento hiper diferenciado.

    Do lado de fora, espere estradas impressionantes, perfeitas, quase de desenho animado.Na Sardenha tudo é arrumadinho, mas alguns lugares são mais raiz mesmo. A região da Costa Esmeralda não. Ali, é tudo perfeitinho mesmo. Florido, podado, arrumado, limpo, é impressionante. Sem pressa, sem vontade nenhuma, mas nenhuma mesmo, de sair dali.


    Imagens: Arquivo Pessoal

    #nofilter

    Related Posts with Thumbnails