Browsing Posts tagged Itália

    Um dos lugares mais interessantes da Costa Esmeralda, que já é ponto alto da Sardenha, é o Arquipélago La Maddalena. São várias ilhas, sendo as principais, a que leva o nome do arquipélago, e Caprera, que vamos falar em outro post específico. São pouco mais de 11 mil habitantes. São pequenas, mas guardam dezenas e dezenas de lindíssimas praias!

    A única ilha estruturada é Maddalena. Lá existe uma bela estrrutura de restaurantes charmosos, cafés, hotéis bons e baratos. Sim, os hotéis realmente são muito bons e baratos porque a maioria do pessoal parte de cidades base da Costa Esmeralda pra visitar as ilhas e depois retorna. Dá pra fazer, mas eu indico fortemente se hospedar em Maddalena, pois tem muita praia linda pra visitar! Indico o hotel Excelsior.

    Nós acabamos ficando duas noites, mas com uma pegadinha: Chegamos no inicio da tarde, pegando o ferry de Palau, que é bem tranquilo, tem o tempo todo. Mas, como são muitas, muitas praias, e Caprera reservava as melhores, acabamos aproveitando somente uma tarde na Maddalena. E faltou tempo! Maddalena e Caprera são acessíveis de carro, as demais ilhas, somente de barco. Existem vários fazendo o passeio pelas demais. Mas leva várias horas.

    Claro que a ilha não é tão grande, então você pode circular facilmente por toda ela. Só que, são tantas praias lindas pelo caminho, que a cada pouco a tentação de parar e acampar é grande. Detalhe importante: Na Sardenha, em várias praias não existe estrutura. No Arquipélago, em particular, que é um Parque Nacional, a coisa é bruta. Você precisa levar tudo!

    Pode até parecer piada, mas fui fortemente xingado porque o sol estava muito quente. Pois é. Até tentei mandar esfriar, mas não rolou. É má ideia sair sem levar guarda sol, cadeiras ou esteiras/canga, e obviamente água e lanches. Não esqueça, é uma reserva, não há estrutura na beira da praia. E nem perto delas! A gente já sabia, levou quase tudo, mas… O guarda sol faltou. E algumas praias não tem pra onde fugir do sol.

    Acho que não cabe listar e indicar as praias que valem ser vistas. Porque na verdade, você certamente vai passar em frente a cada uma delas de carro, e escolher, a gosto do freguês, em quais fará uma parada. Boa parte delas é pequena, pra não dizer a maioria, então é possível perfeitamente visitar uma 4 ou 5 em pouco mais de um turno, curtindo um pouco. E vai ter aquela que vai ter o banho mais demorado e a curtição da paisagem.

    O ar selvagem das praias invade até o mar, com suas peculiaridades, água completamente transparente, e pouca gente por lá. O pessoal por ali é via de regra mais tranquilão, somente uma das praias estava bem movimentada com pessoal jogando bola e tal. Bem zoada até, pro padrão sardo. Mas foi só uma. As demais, você falava até mais baixinho, pra não criar ondas sonoras naquele ambiente impressionantemente pacato e bruto.

    As rochas são uma máxima em todas as ilhas. Os caminhos são bonitos, brutos, mas bonitos, um sucesso total pro pessoal mais natureba, que curte a sensação de lugares pouco tocados. Porque é essa mesma a sensação por lá. Quase de exclusividade em várias praias. Bom, é claro que é necessário cuidar a época do ano. Se for em julho e agosto, auge das férias européias dizem que a lotação é máxima. Opte por dias bem perto desses meses, pra pegar o calor a uma melhor temperatura da água, mas tente evitar acertar em cheio nas férias européias!

    A cidadezinha da ilha é bem bacana! As lojas são diversificadas e bonitas. Na Sardenha o comércio de corais nas mais diversas formas e acessórios é forte, aproveite! É tudo muito bonito! Na tardinha e ao anoitecer, caminhar tranquilamente pelas ruelas é um pedacinho significativo de uma pequena viagem de algumas décadas no tempo. As únicas pessoas que eu vi com celulares na mão, eram notadamente outros turistas não italianos. O turismo italiano é o mais forte em toda a Sardenha.

    A região do porto tem todo um charme, cheia de bancos no lado dos barcos, e de restaurantes do outro lado da rua. Os calçadões são largos e agradáveis de percorrer. São momentos realmente prazeirosos ver a tardinha virar noite pela orla. Aproveite!

    Como quase toda Itália, apesar de ser o campinho de férias deles, tem os apressadinhos no trânsito, afinal de contas, eles continuam sendo italianos! Fora isso, o ritmo da ilha é demais! Lembre que, Caprera tem algumas das praias que estão sendo aparecendo nas mais lindas do mundo, então não deixe menos de um dia pra conhecer a ilha vizinha, ligada a Maddalena por uma ponte. Nós abortamos o passeio de barco pelas ilhas menores, em favor de mais tempo em Caprera, que é realmente, impressionante!

    Imagens: Arquivo Pessoal

    #nofilter

     

    São realmente poucas as praias que ganharão post exclusivo, ainda mais quando se fala em Sardenha, o reino perdido das praias paradisíacas em impressionante quantidade. Mas, como pra tudo existem exceções, La Pelosa vai ser uma.

    La Pelosa fica em Stintino, pauta do próximo post. É bem no norte sardo, mas na extremidade contrária de La Maddalena. Desde o inicio do planejamento dessa viagem, foi uma parada que considerei obrigatória! E houve muita pressão pra ser retirada do roteiro, já que não é bem passagem, você precisa mergulhar mais pro norte pra chegar lá.

    Mas, eu tenho certeza que as fotos vão falar por si só, e não precisarei dizer aqui que ela é imperdível, faz sim jus a fama de uma das mais lindas do mundo, que merece sim ser conhecida internacionalmente como realmente é, e que, se você for pra Sardenha, precisa passar por lá!

    As águas absolutamente transparentes vão fazendo um azul degradê no visual, compondo com a velha torre uma das fotografias mais lindas de toda a trip. É uma praia impressionante, mesmo. Bem cheia, é verdade, mas muito bem estruturada. Espere pagar 20 euros pela posição, com cadeira e guarda sol. Ou leve o seu, o que eu até hoje me pergunto porque não comprei na chegada nas ilhas. Faça isso, e economize muitos euros. Porque sem sombra, aquele sol não é suportável por muitas horas.

    Ao contrário de boa parte das praias sardas, La Pelosa é completamente acessível, equipada e cheia de transfers de hotéis e serviços. Realmente é ir pra curtir aquele visual inacreditável. A única tentação que precisa ser controlada lá, é a de passar o tempo todo tirando fotos!

    Boa parte das praias sardas, pra não dizer a maioria, tem posições pros barcos, iates e cia ficarem ao redor da praia, porque afinal de contas, essa ilha prima pelo turismo de alto nível europeu, principalmente. Em La Pelosa esse cenário muda um pouco, já que a praia é super rasa, então as embaracações ficam bem longe, e praticamente não compõem a paisagem. Pelo menos, sem dar foco na máquina!

    Quando for pensar seu roteiro na Sardenha, considere umas 2 noites por ali. Ficamos uma só, e acabei quase levando uma surra por sair dali tão rápido… Mesmo lembrando que a pressão era pra cortar, justamente essa parada! Outra boa notícia, os hotéis são baratos!!! Inacreditavelmente baratos. Vou falar disso no post da cidade base, Stintino, a seguir!

    Imagens: Arquivo Pessoal

    #nofilter

    Related Posts with Thumbnails