É claro que não ia ficar barato para os "Charlies" , Harper e Sheen. E não ficou.

No esparadíssimo retorno de Two And a Half Men, 28 milhões de pessoas assistiram a estréia de Ashton Kutcher como protagonista de um dos seriados de maior sucesso da atualidade. E posso dizer que, provavelmente, não se decepcionaram. Charlie Sheen pagou pela língua, ou melhor, seu personagem Charlie Harper é que pagou.  A nova temporada começou no velório de Charlie, com o exército de mulheres que passaram pela mão do conquistador de sexo casual, e fritando o personagem.  Caiu sobre ele a dissiminação de DSTs, sexo com homens, dívida com traficantes e o patético final das cinzas de um ex-protagonista, enfim, tudo que fosse possível para que Charlie deixasse o mínimo de saudade possível na série. Como se isso fosse possível. A explicação para sua morte? Não vamos estragar a surpresa, mas era bem previsível que Rose estaria envolvida...

Era evidente que a produção não mediria esforços para deixar o ex-personagem na pior condição possível, principalmente pelo motivo que levou a toda essa novela de cancelamento de temporada, festival de críticas pesadas em público, demissão e substituição de elenco: A semelhança entre a vida do personagem Charlie Harper, e do a vida pessoal do ator que o interpretou por 8 temporadas, Charlie Sheen. Para o bom viciado em Two And a Half Men, ficou bem entendido que cada pancada deixada em Harper, era totalmente direcionada para Sheen. E quer saber? Foi engraçado. Sem querer escolher lados nessa guerra de estrelas, ou julgar se Sheen era sozinho a série, ou fundamental para ela, ou se ela deveria acabar sem ele, o fato é que a bola está em campo, o jogo continua, e boas risadas saíram deste primeiro episódio.

Não demorou muito mais do que metade do episódio, para que Charlie desse lugar à nova estrela da série, o bilionário Walden Schimidt. Ashton entrou em cena trazendo suas características, e seu personagem é o inverso de Charlie, ao mesmo tempo que acaba sendo muito próximo de Charlie. Claro que a construção do novo protagonista da série só irá se mostrar mais adiante, mas já ficou claro que a receita do sucesso com as mulheres continua, tendo em  contra-partida um personagem suicida, que não gosta de bebidas,  e apaixonado, que faria qualquer coisa pela ex-namorada, Bridget, inclusive deixar de lado o seu bilhão de dólares, conquistado com a venda de um site/empresa digital para o Google. A inserção do personagem é rápida, e a produção não poupou esforços para garantir a audiência feminina da série, deixando Ashton em "pelo" duas vezes no episódio.

Mais uma vez Alan é obrigado a conviver com um conquistador de mulheres, mas dessa vez, um conquistador desajeitado, e no primeiro momento, apaixonado pela ex. Mais uma vez fica um recado velado a Sheen. O astro, não precisa estar imerso em garrafas para fazer sucesso. Na série, com as mulheres, na vida real...

Então, agora é esperarmos pelo desenvolvimento da nova série, pela construção do novo e porque não, moderno personagem, e nos preocupar e dar boas risadas, porque a série já sobreviveu, e certamente será engraçada, a sua nova maneira de ser.

Quem não lembra da saída de Sheen da série, aqui tem. Curisoso pelo nova cara da série? Vale a pena ver o novo:

<