J.J. Abrams.

Mais uma série genial passa pelas mãos criativas de J.J. Abrams, criador de Lost, Alias entre outros. Não tem como negar, e o próprio JJ já confessou: Fringe tem inspirações em X Files, e claro que em Lost também. Fringe é um drama focado em avanço tecnológico, chegando ao limite da nossa imaginação sobre avanço científico. Em Fringe a ciência busca o seu limite. Os 12 milhões de dolares gastos no episódio piloto deixam claro que a produção é muito bem feita, deixando com inveja grandes produções do cinema. A loirinha toda plugada abaixo é a agente Olivia Dunham, uma das personagens principais do elenco. Olivia é recrutada para um grupo muito especial de investigações, que acaba tendo como cérebro o ex-maluco Dr. Walter Bishop, o Einstein da nova geração que já foi colega de pesquisa do homem mais rico do mundo: Willian Bell. Willian é o dono da Massive Dynamic, empresa que está na ponta da tecnologia mundial. A grande sacadade Fringe é que o mundo se tornou o grande laboratório de experimentos de uma organização. Esses eventos são chamados de padrão, e claro que logo a Massive se torna suspeita... Cada episódio da série tem um caso específico com um início e um fim, mas é claro que JJ não ia nos decepcionar, e grandes mistérios vão sendo apresentados e explicados conforme a série transcorre. Bishop tem um filho, Peter, que necessariamente não é o filho original dele, já que no último episódio da primeira temporada... Mas como eu ia dizendo, o misterioso filho de Bishop é tão genial quanto o pai (seria um clone dele?) e também faz parte da equipe, que conta ainda com agentes do FBI que volta e meia são renovados, pois é difícil saber quem realmente não está contaminado...



Pessoas que explodem, teletransporte, universo paralelo, e um festival de alterações genéticas inundam o mundo de Fringe, fazendo desse seriado um prato cheio para quem gosta de tecnologia, ciência, e principalmente pra quem acredita que enquanto nos espantamos com a nitidez do google earth, existem organizações estudando coisas além da nossa pobre e leiga imaginação. Que tal um gás que se torna sólido e torna um onibus num imenso monobloco? Claro que cheio de pessoas dentro...Ou então um careca que está presente em todas as fotos e registros de grandes desastres ao longo do tempo? Um observador? E sempre com a mesma aparência! Em cada episódio uma experiência diferente, todas relacionadas ao trabalho desenvolvido pelo Bishop no tempo em que ele trabalhava com Willian Bell. Tudo sendo testado em pessoas comuns... E será mesmo que terá sido por acaso a escolha da bela agente Olivia? Ou ela também ganhou super poderes? "Precisamos tornar nossas crianças aptas à enfrentá-los, precisamos habilitá-las para o que está chegando, e assim elas nos protegerão do que está por vir..."








Fringe encerrou sua primeira temporada no vigésimo episódio, e já tem uma segunda temporada garantida. A cena final? Willian Bell, recebendo Olívia, nas torres gêmeas, enquanto um jornal sobre a mesa traz na capa: Obama inaugura a nova Casa Branca. Vai perder essa?