Eu já venho indicado, em alguns artigos que coloco minha opinião, que estamos perto da anarquia. Muito perto. As pessoas não se respeitam mais, e os absurdos começam a acontecer.

Sempre que se fala em política o assunto é delicado, as opiniões são diversas (ainda bem, senão seríamos Cuba...) e tudo é muito controverso. Essa foto acima, é da governadora no Rio Grande do Sul sendo confinada dentro de casa por manifestação orquestrada por partidos adversários (ninguém aqui é inocente para achar que essas badernas são feitas unicamente por entidades de classe né? Opiniões diversas tudo bem. Povo gado não). Mas então, vamos esquecer a governadora do RS e seu governo, e pensar na atitude. A governadora vem enfrentando denúncias e mais denúncias de partidos adversários, claramente focados na próxima eleição, já que as denúncias são referentes a atos de mais de 3 anos... E só aparecem agora, na véspera da próxima eleição. Nada foi comprovado, ao contrário por exemplo do mensalão. O que temos então?

Uma reação completamente desproporcional, incoerente, e absurda. Porque isso não é feito com o excelentíssimo presidente do senado, com quem os escândalos são infinitamente piores! Ou com os figurantes do mensalão? Por um simples motivo, os anarquistas estão do lado dos mensaleiros, e do presidente do senado porque o cacique chefe mandou.

Não vou entrar no mérito da culpa ou não do comitê de campanha da governadora (alvo das denúncias), porque eu não acredito em campanha limpa. Não acredito em nenhuma campanha limpa pelo simples motivo que o sistema brasileiro não permite isso, e muito menos o povo. Já escrevi aqui, no artigo A ferro e Fogo que o povo tem tanta culpa quanto os políticos. Talvez até mais. O que vejo é uma governadora que fez o que nenhum anterior tinha feito: Comprou guerra com tudo e todos para poder sanear o estado falido. Só era possível pagar as contas encrencando com todos, pois era necessário diminuir os gastos em todas em frentes. Quando ela começou, já pensei, é suicídio político. E foi.

Mas a anarquia feita em frente a casa da governadora ontem foi um ato bizarro. Anarquista. Nada digno da democracia. Mas bem digno do Brasil: Desproporcional, incoerente, e claramente motivado por interesses eleitorais. O Brasil segue sem ferro e sem fogo. E quando tem ferro e tem fogo, é com o objetivo errado.

Seguimos para a anarquia, ou coisa pior...

Obs.: Deixo aqui bem claro que não sou eleitor da governadora, nem mesmo do seu partido.