Foi a vez de Angola, agora, ter a mulher mais linda do planeta. Leila Lopes de 25 anos foi coroada em São Paulo a nova Miss Universo, 2011. Com uma das maiores torcidas pela internet, e quase ou mais aplaudida pela plateia brasileira, Leila conquistou os jurados e venceu as outras 88 misses presentes no concurso.

No terrível segundo lugar, vice-miss universo, ficou a bela Olesya Stefanko, da Ucrânia. Olesya defendeu uma beleza clássica, mas não foi páreo para a angolana.

Mais uma vez não deu para o Brasil, representado pela gaúcha Priscila Machado, que é muito bonita sim, mas não foi suficiente para levar a taça. O terceiro lugar acabou ficando de bom tamanho para a brasileira, que nem aqui no Brasil tinha toda a torcida a seu favor. Valeu Priscila, Top 3 não é para qualquer uma.

O evento foi bem produzido, a transmissão um tanto confusa as vezes, as comentaristas não tão bem assim, mas o que não me agradou mesmo, foram as apresentações.O Brasil, um país tão grande e tão rico culturalmente parece um estagiário se candidatando a uma vaga de diretor. Perdido. O Brasil não sabe, até hoje, mostrar a sua riqueza cultural em eventos internacionais, não sabe se vender, e se torna comicamente repetitivo na apresentação da sua cultura. Mais uma vez vimos berimbaus, vimos jogo de capoeira, e uma cantora (excelente, é verdade) de axé. Mais. Claudia Leitte cantou em inglês (O concurso foi em São Paulo, que fala, obviamente, português), uma música que nada tem a ver com o trabalho dela. Não estou dizendo que berimbau e capoeira não são ricos, e nem menos importantes. O fato é que sempre mostramos isso, somando carnaval e índios. Temi pela entrada de caingangues de arco e flecha no encerramento. Sério. Mais uma vez, entendam, não estou desmerecendo parte nenhuma da cultura brasileira. Mas aí é que está. O Brasil é tão rico, que não podemos mostrar sempre a mesma coisa. Lá fora, é tudo o que eles sabem do Brasil, e continuamos vendendo apenas o que o mundo já sabe. Lá se vai mais uma oportunidade de mostrar ao mundo o grande país e a diversidade cultural que temos. Olimpíadas? Copa do Mundo? Parece que estou vendo, a bateria da Mangueira abrindo ambos os eventos, cercados de índios lançando suas flechas na chama olímpica.

Deixando de lado nosso marketing infantil, voltamos as belas Top 10 do Miss Universo 2011, transmitido para impressionantes 190 países. Após as tradicionais rodadas de eliminação, chegamos nas 16 mais, e depois nas 10 finalistas. Fora das 10 mais, ficaram países tradicionais no Miss Universo, como Estados Unidos (sete títulos), Venezuela (seis títulos) e Porto Rico (cinco títulos), que com seus títulos somados representam 18 faixas em 60 anos de concurso. As três candidatas estavam entre as 16, mas ficaram de fora das 10 mais.

As surpresas na última rodada eliminatória foram os cortes da Miss Portugal, Laura Gonçalves, que vinha agradando muito o público, e da bela Johanna Solano, da Costa Rica. Chegamos então ao Top 5, onde além de Ucrânia e Brasil, Filipinas e China chegaram na reta final com a Angolana Leila.

Shamcey Supsup, Filipinas, não parecia estar na posição certa no ranking das mais belas, mas acabou faturando um ótimo quarto lugar.

Já Zilin Luo da China, com 24 anos e 1,84m esteve nas apostas de muitos, mas acabou ficando mesmo com o quinto lugar.

Abaixo as demais candidatas que ficaram entre as 10 mulheres mais belas do mundo.

Scherri-Lee Biggs, da Austrália, com seus 21 aninhos.

Johanna Solano, da Costa Rica, que deveria ter chegado mais longe

Laury Thilleman, representando a França Laura Gonçalves, a bela portuguesa que conquistou boa parte do público. E Sheldry Sáez, do Panamá, completando as 10 mais de 2011.

E assim, lá se foi mais um ano sem o Brasil vencer o Miss Universo (desde 68 a mulher mais linda do planeta não é nossa). Mas o fato é que, das quase 100 misses no palco, a mais bela era, sem dúvida alguma, a Miss 2010, Jimena Navarrete (acima). E sem desmerecer as misses, a mais poderosa era, sem dúvida, a Claudia Leitte...

Parabéns Leila, parabéns Angola. O universo agora é de vocês.

 

Imagens: Portal Terra