Preciso confessar. Eu não gostava de americanos. Nem dos Estados Unidos da América. E não era recalque, só porque eles são os poderosos. Juro que não era. Eu levava outros fatores em consideração. Um deles é a maneira fácil e sem constrangimento com que eles brincam com a vida alheia para criar oportunidades de negócio. Os EUA são os maiores especialistas do planeta em criar oportunidades de negócio. O Iraque que o diga... Não são os mais inteligentes, nem os mais dedicados, nem os mais nada. Eles simplesmente sabem criar oportunidades de negócio. Outro fator que sempre bati, é que o povo americano no geral é bobo. Doutrinado para seguir o que os líderes determinam. E esses sim, os líderes, são exaustivamente preparados para dominarem o mundo. Atualmente o ponto que mais me incomoda neles é sobre o planeta, que eles insistem em destruir. Eu sei que os outros países também. Mas falando em emissão de poluentes, nada chega nem perto dos EUA, e eles não querem mexer nisso...

Agora, algumas dessas minhas opiniões seguem comigo. Outras não. Mas o teor delas mudou, algumas para pior (caso do respeito ao planeta e as pessoas) e algumas melhoraram (sobre o modo de vida americano, e sobre a inocência do povo gado). Sempre temos que admitir que nossos opiniões podem mudar até porque estamos aqui para evoluir e aprender. E aprendendo nossas opiniões devem ficar mais embasadas, precisas. E temos que admitir que os EUA tem sim mais coisas a nos ensinar, e trago abaixo o relato da Pituia, uma grande amiga que vive nos EUA, sobre algumas das coisas do famoso modo de vida americano.

"Quem nunca viu algum filme americano onde os moradores da cidade se reúnem para decidir os assuntos pertinentes a vida comunitária dos habitantes e todos os moradores participam... Eu achava que isso fazia parte da vida das pessoas ha algumas décadas, e, mesmo assim achava que era uma ou outra pessoa que comparecia! Pois aqui em Winsted isso ainda existe. Terça-feira o "grampy" (avo) das criancas depois da janta (as 5 da tarde) pegou o seu barco e foi para uma reunião para discutir sobre o "rumo" ecológico para os próximos 10 anos aqui na cidade! Dizem que faz mais de meses que ele, bem como os outros moradores, vem estudando sobre o assunto para a dita reunião. Não tive oportunidade de conversar com ele para saber o que foi discutido, mas estou curiosa. As pessoas aqui levam as coisas a serio!! Elas se preocupam muito com o meio ambiente, com a saúde. Os idosos são ativos, nadam no lago, cuidam com as próprias mãos as suas terras, as mulheres além disso trabalham como voluntarias em lojas como a Goodwill (tipo brechó com preços muito baratos), dirigem barcos, vão a jantares. No Brasil todo mundo trata os velhos (com seus 70 anos pra cima) como incapacitados.... Mesmo os que são bem de saúde não ficam saracoteando pra lá e pra cá. Ficam em casa, recebem a visita dos netos e pronto (posso estar errada, mas é essa visão que eu tenho). Na Europa e principalmente aqui nos EUA isso não acontece. Mesmo os que dependem de cadeiras de roda tem seus carros adaptados e vão pra lá e pra cá! Visitam os filhos, vão nas lojas, gastam dinheiro com roupas, acessórios, cremes e levam uma vida como qualquer outra pessoa! Quando eu ficar velhinha, quero ser dessas que passa viajando pra visitar os parentes, as amigas, gastando o dinheiro da aposentadoria com roupas, presentes, que vai pra praia desfilar as rugas com chapeu gigante pra proteger do sol e reclamar que aqui na america nao da pra beber caipirinha na beira da praia!"

É. Temos muito o que aprender com eles. E não é só criar oportunidades de negócio. Por outro lado, eles também têm muito o que aprender. O planeta Terra que o diga...