Chuva forte. Pesada, barulhenta. Que bom, não fosse estar na praia. Mas ainda é noite. Durmo.

Agora o vento é que é forte. E já não é mais noite, é dia, de praia, com vento, sem sol, e com chuva indo e vindo. Sem mar.

Então resolvo ver um filme. Não na TV, não no PC.

O habite-se demora, o gesseiro atrasa, erra o projeto, tudo sai mais caro do que deveria. São as obras da vida. Nem um engenheiro especialista em custos consegue controlar. O atropelo é certo, mas tudo vai acontecendo. As visitas são diárias, os problemas se multiplicam como coelhos em cada turno, e as decisões e escolhas, nos exigem em tempo integral. Tem quem goste. Tem vazamento também, tem estrago onde não deveria ter, e tem ansiedade pela hora H. O resultado final, salvo milésimos detalhes, é ótimo. Todos os interessados adoram. Sucesso na empreitada, sucesso na mudança. Capítulo 1: De casa nova.

Ratos e urubus, larguem minha fantasia. Assim entrou na avenida um velho carnavalesco que contratamos certa vez, em outro filme, lá nas terras distantes em um tempo nem tão distante assim. Bom carnavalesco. Revolucionou o nosso desfile, deu o tom da bateria nota 10. Nunca descobrimos sobre os ratos e urubus, e nunca nos importamos com isso. Lembrei da expressão porque lembrei do mundo dos negócios. Cobras, escorpiões e camaleões habitam muitos desses territórios. Muitos, mas não todos. Se em alguns existem conspirações, em outros existem inspirações e transpirações. Sucesso na mudança. Capítulo 2: Mais uma casa nova.

Tudo junto e misturado. Porque a vida é assim mesmo. Nos testa, nos provoca. Ela sabe, mas quer saber se a gente também sabe, dos nossos limites e capacidades. A data já estava marcada, os detalhes todos acertados, tudo controlado e monitorado. Aí o Capítulo 1 atrasa, aí o Capítulo 2 acontece, e quando você se dá conta, tudo mudou, nada mais é como era antes. Todas as casas, agora são novas, e na principal delas, agora temos companhia. Os anéis cantaram, os sinos balançaram, a linda noiva entrou, e o padre decretou: Eu os declaro, marido e mulher. Já pode beijar a noiva? Capítulo 3: Ih, casei!

Férias, cinco anos depois. Parar é uma coisa. Tirar férias, mesmo, já eram cinco anos de ausência. E como faz bem. Mesmo com indefinições e incertezas, a maior certeza é que são necessárias. A vida pessoal também é um negócio, ou um plano de. Precisa de planejamento, de estratégia, de cuidado, de reflexão. De férias! Parar e pensar. Que saudade de viajar! E se a viagem tem nome? E se o nome é lua de mel? Aí sim, é que são férias! Férias de Mel! Capítulo 4: A praia mais linda do planeta terra.

A chuva aumenta, deitada, ventada, agressiva e pronunciada. Varre tudo. Lava tudo. Prenúncio de um 2012 difícil? Que nada. Dia trinta e um é dia de limpar as gavetas, lavar o mundo, deixar tudo limpo e renovado para 2012. Lavou, ta novo. Lá vamos nós, tudo de novo, mas dessa vez no ano novo.

E o seu ano, vamos compartilhar?   Feliz Ano Novo, Feliz 2012. By Arti, o Rico.