No último domingo do campeonato, o futebol brasileiro viu de tudo. Viu time praticamente rebaixado sair do buraco, viu time que já comemorava título ficar fora do G4 (Libertadores), e viu churrasco no Maracanã. Mas o jogo era com o Grêmio, e o Flamengo ganhou, e foi campeão, então deu feijoada e não churrasco! Não é? Que nada, deu churrasco!

Em um desses caprichos da vida, o arqui-inimigo vermelho ficou na dependência do rival azul. E aí que o tricolor gaúcho ficou naquela situação em que se apresenta aquele sorriso maroto ao principal rival: Bah, no Maracanã lotado não tem como fazer churrasco de carioca... E a direção fala besteira, e jogador fala besteira, e acaba a gurizada tendo que resolver. Com medo de fritar titulares, e com mais medo ainda de ganhar o jogo, a direção tricolor manda para a cidade maravilhosa a gurizada olímpica. Com técnico (interino e promissor) com medo de levar uma sacola, e gurizada tranquila, o Grêmio entra em campo e assusta o Brasil todo. Vai para cima de um Flamengo todo borrado (como todos times que chegaram na ponta nesse campeonato), com medo de levar esse título. E tem gol, e é azul. E pela primeira vez na história colorados comemoram gol gremista enquanto a fanática torcida azul espragueja contra o próprio time. Eu sou do tempo que os colorados eram os maiores compradores de camisa do Brasil. Eles tinham camisas do Palmeiras, do Corinthians, do Ajax, do Nacional... Ora, nos bons tempos da década passada o Grêmio era o brutal time do sul que amassava os ricos clubes lá de cime. Ao Inter só restava secar, mero coadjuvante que era no cenário do futebol nacional. Que saudade daqueles tempos...

Dia 12 de dezembro 30 mil gremistas saudosos irão assistir ao poderoso time de 1995, aquele... A máquina tricolor que amassava seleção brasileira vestida de verde em pleno Palestra Itália, que tocava 5, que ganhava tudo que passava pela frente para desespero do país todo. E o país todo ficou esperando para ver, na "final"desse campeonato, se o Grêmio poderia cometer um crime parecido, com 85 mil pessoas assistindo ao vivo, e milhões na TV. Se fosse o time titular, que nunca perdeu em casa, e nunca ganhou fora (vamos deixar os Aflitos fora, afinal de contas, o palco da grande batalha não conta no mundo real...), não haveria chance. O Grêmio perderia e o Inter mais ainda. Mas era a gurizada. E guri é guri. Guri respeita essas coisas de trauma. Guri vai lá e toca horror, porque essa geração é assim mesmo. E a gurizada tocou terror, botou o Brasil todo de fraldas, inclusive a sua torcida. E no final, só não cometeu o crime porque sabia, mesmo que no subconsciente, que dar um brasileirão de graça para o Inter, era assinar a demissão no clube tricolor. Entregaram? Não. Não entregaram. Mas se o inverso fosse verdadeiro, e o Grêmio tivesse que ganhar do Mengo par ao Inter NÃO ser campeão... Ah se fosse assim, não tenho dúvidas... No mínimo aquele empate tinha permanecido. E tinha rolado churrasco no Maraca. Mas como a vida é bem caprichosa, o churrasco aconteceu de qualquer maneira.

Fiquei aliviado, fiquei feliz... Mas ainda assim fiquei com aquela sensação de ter dado uma de colorado... Deu a impressão de estar com a camisa do Flamengo, e aí o churrasco ficou sem sal...