Browsing Posts in Política

O Novo Xerife da Terra

8 comments

Porque os Estados Unidos tem essa questão aí, ainda, de ser o Xerifão do planeta. É quando alguém faz uma bobagem qualquer, em um lugar qualquer, que o Xerife vai lá e confere, ou desfere. Desde que tenha petróleo envolvido, claro. Só na Venezuela que não, sei não porque. Mas é assim que o Xerife vai. Vai controlando o mundo, e mandando geral em todo mundo. Manda mesmo porque é rico mesmo, e mesmo em crise todo ferradinho ainda é disparado o mais rico e mais importante. Tão importante que ninguém pode com ele. E o pior, ninguém pode poder com ele. É. Confuso mas é isso. A “America”  que é como eles gostam de encampar o nome que nem é só deles, é tão poderosa, que se cair, cai tudo ao redor. Então ninguém nem pode querer que os USA caiam, porque se cair, todos vão junto. E quanto mais forte, mais junto vai. Ou seja, só Zé Mané pode ir contra eles. Que daí, nem mexe na montanha.

E é nesse império todo da era moderna, que esses dois meninos abaixo brigam pelo trono. É a cadeira mais importante do mundo, e que mais manda e que mais tem poder. E até que deu uma briga boa, entre o presidente diferentão que cantou e encantou com sonhos, poesias e facebook em 2008, e o presidente tipico dos seriados. Porque o desafiante já esteve em todas as séries e filmes que retratam o senhor presidente nas telinhas. Menos a do Jack Bauer, que gostava de presidente diferentão. O Romney é o tipico corte de cabelo, cara de presidente, família de presidente, tudo de presidente dos USA. Mas é o desafiante. Porque o atual é o diferentão. Que nem foi tão bem assim, porque vendeu um sonho que não era tão doce, e porque pegou o país todo retalhado daquele último lá, aquele filho de ex-presidente que socaram no trono por oito anos. Porque o Obama foi o típico candidato do facebook, lá em 2008. Era mais bonito na rede social do que foi no trono imperial. Coisas de internet, só cai quem não conhece a rede.

Dizem que o atual é melhor pro mundo, que o desafiante tipico, aquele dos seriados e filmes de meu querido presidente, é mais parecido com o anterior, aquele, filho…do ex-presidente. Até acredito, porque no fim das contas o Obama tem mais cara de protegido do Jack Bauer, e eu gosto do Jack Bauer. Na verdade, as opções só não são piores do que o sistema eleitoral deles. Cruzes, que bagunça. Mas é uma bagunça proposital, porque todo mundo sabe que lá no império as mãos invisíveis tem mais poder, muito mais poder, do que as mãos visíveis. E quando a coisa é meio bagunçada, meio confusa, o caminho pras forças invisíveis fica é mais fácil.

Então a gente senta e assiste essa confusão toda, e no fim quem tá por aí deve ficar, apesar do empate divulgado mundo afora. Porque mesmo abaixo de tempestades e furacões, as estrelam continuam brilhando é na cabeço do Obama. Né não? Desde que deixem todo mundo mundo afora mais ou menos quieto, tá tudo certo. Boa sorte ao Tio Sam, com o menino do facebook com cara de protegido do Jack Bauer, ou com o outro lá, com cara de meu querido presidente de Hollywood.

 

A Graça da Política

6 comments

E é porque sempre gostei, que vira e mexe, gira e desvira, que por aqui tudo acaba em pizza. Quer dizer, em política. Bom, dá no mesmo. Porque hoje pizza e política são sinônimos. Com todo respeito, claro, a uma das melhores mesas italianas! Quem não ama pizza? Impossível. Já a política, pobre sinônimo, anda em baixa. Embora extremamente lucrativa. Mais que pizza. Baixa no IBOPE, tudo certo no reino do cifrão. Não pro povo, claro. Pro povo, pizza. Porque gosta, porque deixa.

Quando vejo essa coisa aí, essa turma aí, essa piada nacional toda, aí, lembro dos primórdios. Lembro de como a política nasceu, e nos primeiros momentos em que mais apareceu. Lá das Polis Gregas, passando pelo precificado e ultrajado senado romano, as suas glórias sempre foram inglórias, nesse mundo político. Uma graça, somente para achar graça. Como consolo, daqueles de rir para não chorar. Vem mais uma eleição por aí, meia dúzia de sérios, duas dezenas de oportunistas, e centenas de sedentos por poder. A maioria engraçadinhos, daqueles que o CQC pergunta sobre a votação que eles acabaram de sair, e nem mesmo o assunto eles sabem. Piadas nacionais. Naquelas pompas e circunstâncias. Caras de sabidos, que de nada sabem, além do que os interessa pessoalmente

Porque a receita está toda errada. Tudo, do início ao fim. O sistema partidário, que negocia para votar junto, a reeleição, que faz o político “trabalhar” o mandato todo para a própria reeleição, ou a do filho, da mulher, do papagaio, do cachorro, e óbvio, do burrinho de estimação. E toda essa turma é que manda no nosso país de poder único. Único, porque quem legisla negocia com o executivo, que indica o supremo federal (essa é a mais engraçada de todas, uma graça). E se o executivo não negocia com o legislativo, não governa, e se o legislativo não negocia com o executivo, não leva verba, e na verba quem manda é o partido, que não passa de um aglomerado de “interésses” que abocanha os cargos políticos. Os cargos políticos que mandam nos cargos técnicos, que sabem o que fazer, mas viram paus mandados dos cargos políticos, que recém chegaram, e estão preocupados com a reeleição. Então vira o país de quem não sabe o que fazer. Quer dizer, sabe sim. Comer pizza.

No fim, pra todos menos eles, da politica, a graça é uma desgraça.